Dores no início da gestação

Está grávida e sente dores? Ou conhece alguma grávida que está incomodada com isso?

No início da gestação, podem ocorrer dores, eu mesma tive, e ficava bem preocupada, mesmo a minha obstetra dizendo que estava tudo bem. Esse incômodo geralmente é descrito como cólicas abdominais e é necessário observar o quadro.

No início da gestação, o crescimento do útero e consequente distensão dos seus ligamentos podem causar dores pélvicas. São usualmente descritas como cólicas abdominais de intensidade variável. Por outro lado, nas últimas semanas da gestação, as dores pélvicas intermitentes e rítmicas, associadas a dor lombar baixa, podem ser sinal de trabalho de parto. É importante lembrar que se a gestante apresentar dores de forte intensidade ou acompanhadas de sangramento vaginal, deverá procurar o seu médico.

O corpo também passa por modificações do sistema músculo-esquelético. Ao longo de toda a gestação, as articulações acumulam líquido e tornam-se mais frouxas, principalmente quadril, púbis e coluna lombar, o que pode provocar desconforto. Essas modificações vão promover o aumento dos diâmetros da bacia, para favorecer o parto vaginal. Além disso, na segunda metade da gestação, o peso do útero modifica o eixo gravitacional da gestante. Ela passa a curvar mais a coluna, desenvolvendo a hiperlordose e a hipercifose, e a alargar a base de sustentação, afastando os pés. Tudo isso leva à utilização de grupos musculares que não são rotineiramente solicitados, e pode provocar a fadiga.

Entretanto medidas simples podem aliviar estas dores tão comuns. Alongamento e atividade física regular ajudam a estabilizar e fortalecer os grupos musculares mais solicitados. Uma boa atividade indicada para as gestantes é a hidroginástica, uma vez que fortalece a musculatura com um mínimo de impacto. Além disso, aulas específicas para gestantes ensinam exercícios de respiração e força, que podem ajudar no momento do parto.

Analgésicos simples também podem aliviar as dores da gestação. Entretanto inúmeros medicamentos são contraindicados, por provocarem defeitos cardíacos e alterações do líquido amniótico, entre outras complicações. Antes de tomar qualquer remédio, a gestante deverá confirmar com o seu médico se é seguro para o período da gestação em que se encontra.

Antes de tomar qualquer providência, sempre converse antes com seu médico.

 

Dr Alfonso Massaguer

www.mae.med.br

Dr. Alfonso é Médico pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Ginecologista e Obstetra pelo Hospital das Clínicas e Especialista em Reprodução Humana pelo Instituto Universitário Dexeus – Barcelona. Professor responsável pelo curso de reprodução humana da FMU, Dr. Alfonso fundou a MAE (Medicina de Acompanhamento  a  Mulher) especializada em reprodução assistida. O médico é membro da Federação Brasileira da Associação de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), das Sociedades Catalã de Ginecologia e Obstetrícia e Americana de Reprodução Assistida (ASRM). Também é diretor técnico da Clínica Engravida e autor de vários capítulos de ginecologia, obstetrícia e reprodução humana em livros de medicina.