Reeducação Alimentar – o sucesso para emagrecer

Muitas pessoas me perguntam como foi minha reeducação alimentar, que dieta eu faço e quais adaptações precisei. Antes de mais nada quero reforçar que, minha alimentação não tem rótulo, já contei aqui que prefiro assim. Prefiro não me apegar a nomenclaturas e dizer que opto por comidas de verdade, que dou prioridade às comidas preparadas em casa. Precisei quebrar paradigmas, passar por cima de preconceitos meus, e pagar a língua. Vocês vão entender!Tive que entender mais sobre comida, e os efeitos que elas poderiam ter em mim, positivos e negativos. Passei a ler e conversar com quem entende. Tive consciência que, me alimentar bem e corretamente, eu teria que cuidar da minha alimentação com amor. Preparar, programar e cuidar. Tive que entender que, minha saúde, minha disposição e emagrecer começaria na assim.

Minha alimentação não é de outro mundo, eu não consumo nada que você não possa encontrar no mercado ou na feira. Eventualmente resolvo fazer alguma receita com alguma farinha diferente, mas esse não é meu foco. Prefiro preparar alimentos práticos dos quais minha família possa comer também.

Como já contei aqui, um dos primeiros passos que fiz foi, procurar uma nutricionista e readaptar meu paladar. Antes de ter filhos eu comia bem, mas sempre tive o paladar um pouco infantil. Antes de ter filho eu tinha o metabolismo ao meu favor, era mais nova, e não sei por que era tudo diferente em mim. Depois do filho, e com todos as eventualidades que já contei aqui, essas comidas que satisfaziam  meu lado infantil, eram consumidas para suprir minha dificuldade do momento, era meu calmante contra o estresse  e passou a ser rotina na minha alimentação. Bolos e doces todos os dias e em grandes quantidades. Então, eu precisava fazer uma reeducação alimentar e mesmo sabendo o que precisava comer, eu procurei uma nutri para me ajudar, e me dar um norte. Foi ótimo!

Nunca passei fome ou fiz qualquer tipo de jejum para emagrecer, mas meus horários de alimentação mudaram. Hoje como de acordo com a minha fome.

Não vou falar de um corpo perfeito, até porque ainda tenho minha gordurinhas, vou falar de reeducação alimentar. Então, sendo bem objetiva e direta, vou contar em etapas o que eu fiz, isso aliado ao exercício que já contei aqui:

Primeira etapa: O que era rotina {as gordices que eu comia todos os dias} passou a ser exceção. Eu tinha uma meta de vida, de saúde e de estética também, então precisei ser mais rigorosa, e sabia que, para ter resultado precisava cortar essas coisas, e consegui.

Passei a priorizar comida de verdade, proteína, diminui significativamente a farinha branca e integral, mas não eliminei, tanto que comia 01 pão antes de treinar.

Passei a comer muito vegetais, diminui a quantidade dos grãos. Comia lanchinhos preparados com farelo de aveia, crepiocas.

Segunda etapa: Na primeira etapa perdi peso, e depois de uns 02 meses já havia estacionado. Continuei queimando gordura com os exercícios, perdendo medida, mas o processo estava lento. Para continuar saindo do lugar, senti a necessidade de fazer algumas mudanças. Conversei com a nutri, falei que sentia cansaço nos treinos, e fizemos mais alguns ajustes até mesmo para eu ter mais energia.

Aqui diminuiu mais ainda a farinha branca, deixei o meu amado pãozinho de lado, mas eu já sentia falta dele. Eram raras as veze que eu comia. Passei a comer alimentos mais proteicos, tomei Whey {mas não tomo mais há meses, por opção}, mais legumes, meus alimentos eram dos carboidratos {ex.: batata, mandioquinha, inhame}. Diminui as preparações com aveia, e passei a deixar em casos de necessidade, quando tinha vontade de comer doce. Nessa fase eu já estava habituada com a minha mudança, que havia começado na primeira etapa, então, não tive dificuldades e para mim era tudo natural, não conseguia nem chamar de dieta. Eu comia o que minha família comia, só não colocava mais arroz e feijão em meu prato, os demais alimentos, eram os mesmos de todo da casa. Sobre o feijão, eu passei a comer bem menos por opção, porque passei a me sentir inchada.

Em resumo foi isso, assim foi minha reeducação alimentar!

Não fiz nada radical, não me senti infeliz com a minha alimentação, não tive mudança de humor, pelo contrario, e não deixei de fazer nada por conta de “dieta”. Minha mudança foi natural, e eu me senti feliz com tudo, e por saber que fui capaz de mudar e amadurecer no sentido alimentar

Como sempre digo, não foi só peso que perdi, foi vida que eu ganhei. A gente não imagina as conquistas que tem quando mudamos hábitos, principalmente depois de uma certa idade. Eu ainda {me considero} sou nova {hoje com 35 anos}, mas o meu corpo mudou, meu metabolismo também, e isso requer mudanças de hábitos positivas também.

Eu passei a me sentir muito mais disposta, minha saúde melhorou, eu tenho auto controle na minha alimentação, não tenho mais compulsão alimentar como já havia dito aqui, meu intestino funciona melhor,  e quando saio um pouco dos eixos ele trava.

Toda essa mudança, não significa que eu não coma na rua, que eu não coma meus docinhos e bolos preferidos, que eu não coma pizza, que eu não vá em um rodizio, que eu não coma lanches, e outros alimentos. Isso significa que eu tenho equilíbrio, mas tenho consciência que, na minha balança a comida de verdade o alimento que vai me dar saúde e disposição, tem que pesar mais. Os demais são consumidos em exceção, e não como regra, como acontecia antes.

Não vou compartilhar meu cardápio, a principio, mas se você puder consulte uma nutricionista que entenda de verdade as suas necessidades e não que te passe algo pronto, e que provavelmente não ira funcionar, já que cada pessoa é diferente da outra.

Eu apenas compartilhei o que funcionou comigo, para te inspirar e motivar a buscar a mudança, talvez a sua necessidade seja outra.

Vou deixar aqui algumas dicas de alimentação que ajudam muito até hoje.

Programando a alimentação e não ter desculpa para comer a comidinha: marmita saudável clique aqui.

Substituir o pão – esse não como todos os dias, até porque não como mais pão todos os dias: Aveioca clique aqui

Quando tiver vontade de pizza – faço muito a de abobrinha, e é sempre sucesso: clique aqui

Hambúrguer caseiro – tenha sempre no freezer, ele salvam muito: clique aqui

Nesse link tem mais algumas receitas que já publiquei no instagram —> clique aqui

Para finalizar, não esqueça de beber muito água.

Espero que tenha te ajudado e inspirado, conte comigo se precisar.

Beijos!
Lívia