Como escolher o inalador

Acho que é essa dúvida de quase todas as mães: como escolher o inalador? É tudo a mesma coisa? Qual devo comprar? Então quero compartilhar aqui no blog, esse assunto de utilidade publica, pois existem muitos fatores que devem ser levados em consideração na hora de escolher seu aparelho, e isso pode influenciar ao administrar alguns medicamentos.

Quando meu filho era bebê e precisou teve uma tosse forte e foi indicador inalação, eu não sabia quase nada, e perguntei para a pediatra como escolher o inalador, qual seria melho,, e ela deixou ao meu critério. Acontece que, se eu soubesse de algumas informações que sei hoje, teria reavaliado a minha escolha.

Há pouco mais de 02 meses, meu filho teve uma laringite e precisou fazer uso de um medicamento no inalador, e para a minha surpresa, naquele momento a Pediatra do meu filho, que não é a mesma que o acompanhava quando bebê confirmou que, o tal medicamento não poderia ser usado em modelos “ultrassônicos”, aqueles famosos por serem silenciosos. Eu já tinha lido algo por alto em grupos de mães no facebook, mas depois dessa informação, eu esclareci mais com ela, pesquisei sobre o assunto, e liguei em um dos fabricantes de inalador. Mesmo com as evidencias de: informação da pediatra, embalagem do medicamento, eu ainda liguei em um dos fabricantes, que confirmou as informações abaixo.

Existem dois tipos de inaladores:

Inalador convencional: (pneumático ou ar comprimido), ele é um pouco barulhento.

Inalador ultrassônico: o famoso por ser silencioso, rápido e permite fazer a inalação em qualquer posição.

Avalie você mesma a vantagem e desvantagem:
Apesar dos benefícios dos ultrassônicos, eles são indicados para soro e 👉QUASE👈todos os medicamentos. Não indicado para glicocorticoides inalatórios como o dipropionato de beclometasona (Clenil A®) e a budesonida (Pulmicort®). Conforme exemplo da caixa de Clenil A que comprei em Janeiro.

A explicação se dá pelo mecanismo do aparelho citado acima, a placa eletrônica que gera pouca quantidade de névoa e também acaba “quebrando” a solução contida no aparelho, o que compromete o efeito. [foi exatamente o que o atendente de uma das marcas me informou]. Já no caso da budesonida (Pulmicort®) ocorre a “quebra” da molécula do medicamento, fazendo com que este tenha sua eficácia comprometida.

O modelo pneumático faz um pouco de barulho, mas nada que incomode, e da para usar com todos os medicamentos. Na duvida sobre o barulho, você pedir para testar um aparelho na farmácia. O mecanismo dele é diferente, e aproveita melhor o medicamento.

Eu já tive dois modelos de inaladores ultrassônicos, mas depois dessa informação, comprei o modelo pneumático. Preferi um aparelho que eu pudesse usar em qualquer ocasião e necessidade.

Existem várias marcas no mercado, e na farmácia nem todos sabem dessa informação, digo isso com base na experiência da minha compra do pneumático. Eu mesma precisei mostrar ao atendente da farmácia, a informação que consta na caixa do Clenil A. Por esse motivo quero deixar aqui registrado essa informação importante.

Caso tenha duvidas, converse com o médico do seu filho(a), ou ligue em um dos fabricantes.

Espero ter ajudado!

Beijos

Lívia